fbpx

Para shoppings, o jogo Pokémon GO atrai mais público do que campanhas de Dia dos Pais

Dos 192 centros de compra pesquisados pelo Orange Paper, estudo de inteligência do GS Group, 66% investiram no jogo voltado para mobile e 53% em ação promocional de pai.

A grande maioria dos shopping centers deixou de lado a tradicional data do Dia dos Pais e priorizou nas suas campanhas o jogo recém-lançado no Brasil Pokémon GO na tentativa de atrair pessoas. Enquanto 53% dos centros de compras realizaram campanhas relacionadas ao Dia dos Pais, 66% contaram com ações cujo o tema era o Pokémon GO, segundo o Orange Paper, pesquisa realizada pela Célula de Inteligência de Mercado do GS Group. O Orange Paper faz um levantamento sobre as estratégias promocionais nos shopping centers no Brasil nas datas comemorativas desde 2013.

Estudo do GS Group mostra que shoppings deram preferência para promoções do Pokémon GO.

Clique aqui para ter acesso ao estudo completo do Orange Paper do Dia dos Pais 2016.

O Pokémon GO começa a ganhar força como uma oportunidade de negócio, principalmente para empreendimentos que dependem do tráfego de pessoas. Shoppings estão divulgando seus espaços como Pokémon Stop e Ginásio Pokémon GO, locais reais onde as pessoas são atraídas para capturar e travar batalhas com os monstrinhos, conforme a regra do jogo criado pela Nintac. De acordo com o Orange Paper, 76%, dos centros de compra que não anunciaram promoção do Dia dos Pais neste ano aderiram ao Pokémon GO. Pelos seus canais de comunicação, os centros de compra atraíram clientes com alertas de que as criaturas virtuais poderiam ser encontradas pelos seus corredores e lojas.

Para o Diretor de Inteligência do GS Group, Fernando Gibotti, “o Pokémon GO foi mais uma tentativa de levar consumidores aos shoppings numa data reconhecida tradicionalmente como fraca para o varejo e que, ainda neste ano, competiu de certa forma com as Olimpíadas do Rio. Entretanto, o fato de os shoppings recorrerem rapidamente a esse jogo, que ainda não tem sua efetividade conhecida pelo varejo brasileiro, mostra que é urgente avaliar as ações atuais realizadas para impulsionar o fluxo de pessoas.”

Os shoppings que estão fazendo ações de Pais mantiveram a mesma estrutura, Sorteio e Compre-Troque. Neste ano, dos 66% dos shoppings que realizaram campanhas de Sorteio, 25% estipularam que os clientes precisariam consumir entre R$200 e R$399 para concorrer a Motocicletas. E dos 54% dos shoppings que fizeram campanhas de Compre-Troque, 36% ofereceram, principalmente, ingressos para shows se fossem consumidos entre R$200 e R$299.

Neste ano, apenas 53% dos shoppings realizaram campanhas, uma proporção que não tem sido substancialmente alterada desde 2014. O que tem mudando sensivelmente é a redução do período das ações propostas. 60% dos shoppings fizeram campanhas de até 15 dias de duração, o maior índice desde 2013 quando esse valor era de apenas 45%.