fbpx

Pesquisa Shopping Center – Campanha de Natal de 2015

Orange Paper

Pesquisa sobre Campanhas de Natal em 2015 em Shopping Centers

13% de centros de compra diminuíram o fator de troca para atrair

mais participantes no sorteio de fim de ano.

 

O Orange Paper de Natal registrou em 2015 um aumento de 13% no número de centros de compra que realizou Sorteios com o fator de troca de até R$ 299, em relação a 2014. Cresceu em 2% a utilização de fatores de troca entre R$100 a R$199 para esse tipo de ação, historicamente a mais comum nesse período para acelerar as vendas.
Reduziu em 21% a quantidade de shoppings que optou pelo Sorteio de automóvel para atrair os consumidores. Mesmo assim a pesquisa mostrou que o automóvel continuou sendo o prêmio principal dos Sorteios do fim de ano.

O Sorteio em si, também mais usual nas campanhas de Natal, foi adotado em menos shoppings como estratégia promocional em 2015 em comparação a 2014. A redução do número dos centros de compra com esse comportamento foi de 11% dentre os 93% que realizaram algum tipo de ação promocional. As campanhas de Sorteio de Prêmios aconteceram em 87% desses shoppings.

 

No ano passado, os prêmios mais oferecidos pelos centros de compra em relação a 2014 foram o Vale Compras, que aumentou em 16%, e aparelhos de tevê, em 14%.

 

Com fator de troca menor, prêmios menos expressivos, inclusive, menos automóveis sendo sorteados, houve um crescimento de 3% no número de shoppings que promoveram campanhas de Natal no ano passado em relação a 2014. O tempo das ações também sofreu alteração. Campanhas de curta duração de até 30 dias cresceram em 9%. Embora o período de 31 a 45 dias seja mais usual, houve um decréscimo de 3% em 2015 se comparado a 2014.

 

Segundo Fernando Gibotti, Diretor da Célula de Inteligência do GS Group, “os shoppings precisam ser mais criativos e reformular o modelo das campanhas. Com a crise, o comportamento de compra, o perfil e os valores do consumidor sofreram alteração. Há mais cautela no consumo e uma busca por benefícios no ato da compra. Tudo tem de valer a pena para o comprador. Por isso, as ações precisam ser renovadas e estimular a interação e o relacionamento; é uma receita que tende a dar um bom resultado”.

GSGroup-OrangePaper-Natal-2015