fbpx

Pesquisa nacional sobre expectativa de compra no Natal

Consumidores vão gastar menos neste Natal
Pesquisa nacional sobre expectativa de compra mostra que 63% dos brasileiros vão economizar em presentes e 47% não vão usar o 13º para fazer compras no Natal.

Quase dois terços dos brasileiros vão gastar menos com presentes de Natal em 2017 em relação ao ano passado e apenas um terço deles disseram que vão usar o 13.º salário para as compras, mostra pesquisa da Célula de Inteligência da GS. De acordo com o levantamento, 63% dos 1.213 brasileiros entrevistados em várias regiões do país afirmaram que vão economizar neste Natal e 47% informaram que não usarão o salário extra para presentear parentes e amigos.

Os dados contrariam a expectativa positiva do varejo após recentes notícias sobre o aumento do poder de compra do brasileiro e a queda da inflação ocorrida nos últimos meses.

Segundo o Diretor de Inteligência da GS Fernando Gibotti, o comportamento dos consumidores ainda é bastante conservador com relação ao comprometimento de suas receitas. “O cenário ainda demanda, por parte dos varejistas, atenção e cuidado na elaboração de estratégias para alcançar o consumidor receoso. Embora estejamos com tendências favoráveis de emprego e consumo, a expectativa para o Natal deve estar contida nas projeções de crescimento perene das vendas em 2017”, afirma Gibotti.

Boa parte dos consumidores que irá às compras neste fim de ano, 43%, pretende desembolsar até R$ 300 com compras de Natal. Apenas 16% esperam gastar entre R$ 300 e R$ 500; 6% entre R$ 500 e R$ 600 e somente 8% acima R$ 600. Além disso, 27% não quiseram definir o valor.

Para realizar as compras, 55% dos entrevistados preferem as lojas de rua pelos seguintes motivos: variedade de produtos (49,24%), agilidade (25,68%) e facilidade (22,96%). Já 42% dos consumidores desejam fazer suas compras em shopping centers por causa, principalmente, de climatização (54,80%), estacionamento (52%), diversidade de produtos/lojas (51,60%) e segurança (48,80%). Há também os consumidores que preferem realizar suas compras pela internet. Esses somam 36% dos entrevistados e a preferência ocorre por conta do preço (73,95%), da facilidade (56,28%), da variedade de produtos e das lojas (43,26%).

Influência das promoções

Para 65% dos entrevistados, as campanhas promocionais que o varejo realiza no fim de ano são um atrativo para os consumidores definirem o local onde irão fazer as suas compras. O sorteio é o formato que mais agrada a 43% dos consumidores. Desses, 64% esperam concorrer a prêmios de grande valor, como carro (72,66%) e viagem (28,91%), respectivamente. Campanha na configuração compre e troque é o modelo de campanha favorável para 41% dos consumidores; para esses, os prêmios que mais interessam são eletroportáteis (48,37%) e artigos para o lar (39,43%).

“Brasileiros querem ganhar um emprego do Papai Noel”

Quando estimulados a indicar um presente que gostariam de ganhar no Natal, 20 itens foram listados. Os cinco primeiros presentes da preferência dos brasileiros são carro (16,67%), celular/smartphone (9,83%), roupas (7,83%), imóvel (7%) e viagem (6,67%). Chamou a atenção, dois presentes da lista: receber algum dinheiro (5,67%) e conseguir um emprego (4,67%).

Sobre a metodologia utilizada: a pesquisa foi realizada com 1.213 pessoas a partir de 14 milhões de consumidores de shopping centers, supermercados e associações comerciais. Segue a aleatoriedade com uma margem de erro de 3 pontos percentuais e confiabilidade de 95%.

Sobre a GS – empresa que desenvolve tecnologias e metodologias para entender o shopper e o consumo e elaborar estratégias que aumentem a lucratividade do varejo e da indústria. Entre seus clientes: Roldão Atacadista; Epa Supermercados, Jaú Supermercados, Enxuto, Tenda, Grupo Mateus; Drogal, Farma Ponte e Moderna.

gs-group-pesquisa-expectativa-natal-2017

 

Direção

Dr. Fernando Gibotti

 

Coordenação

Evandro Alampi

Equipe

Aline Tanaka

Eduardo Donoso

Gabriel Furlanetto

Guilherme Flores

Laura Fileto

Luciano Sasso

Renata Hernandes

Vitor Carareto

Wladimir D´Andrade